Home Notícias Artigos Estudos Sermoes Bate - Papos Visitas
 
Quem Somos
No Que Acreditamos
Links e Endereços
Fotos e Vídeos
Contatos
Calendário e atividades


 
Jezabel - Uma vida de escolhas erradas.
Keli Cristina

Jezabel, uma mulher que se parece muito com a mulher contemporânea... Ela é determinada, “inteligente”, capaz de realizar várias funções, independente, decidida, entre outras coisas.

I Reis 16:29-33:
Tudo começou para o povo de Israel exatamente como tudo se inicia nas nossas vidas, com uma decisão. Tempos atrás o povo de Israel pediu um rei para Deus e Ele deu ao povo o que eles pediram, um rei – primeiro Saul, logo depois Davi, depois Salomão. Durante o reinado de Salomão a idolatria se espalhou tão espantosamente que Deus decidiu acabar com o reino de Salomão. Porém, Ele tinha prometido a Davi que o reino pertenceria aos seus descendentes. Então Deus cumpriu sua promessa, dividiu a terra de Israel em dois reinos: Norte e Sul dando o pequeno território do sul à descendência de Davi. O reino do Sul (Judá-Roboão) havia tolerado a idolatria, mas foi no reino do Norte que a ela foi promovida - com Jeroboão, quando fez os dois bezerros de ouro para que o povo não fosse até Jerusalém adorar ao Deus eterno.

Acabe foi o sétimo rei de Israel (reino do Norte), e é nesse cenário que surge Jezabel com seus ídolos. Todos os reis idólatras de Israel foram maus, mas o pior de todos foi Acabe. Seu nome, três mil anos depois de sua existência, segue associado à JEZABEL.

Jezabel era filha de Etbaal, da Sidônia ou Sidon, que hoje é a terceira maior cidade do Líbano e, na época de Jezabel, era a cidade mais importante da Fenícia. O casamento aconteceu para estabelecer laços entre os fenícios e Israel.

I Reis 18:16-19
I Reis 18:22-24
Após seu casamento, Jezabel continuou adorando deuses fenícios, mas não se limitou a isso, pois o que ela queria era combater o culto e a adoração ao Deus Eterno. Recorreu ao dinheiro público para sustentar seus 450 profetas de Baal (deus da terra) para sustentar mais os 400 profetas da deusa Aserá (deusa da fertilidade). Os sacerdotes israelitas foram eliminados ou então tiveram que se exilar no deserto, devido à perseguição da rainha.
Se somarmos as perversas bruxas dos contos de fadas mais a personagem do filme “O Diabo veste Prada”, teremos a figura de Jezabel, porém, ela não foi uma fantasia ou um personagem de uma estória, foi tão real quanto nós, aqui, hoje. Sem Deus no centro de nossos corações, nós também podemos nos tornar uma Jezabel. Se ela tivesse vivido nos dias de hoje, a veríamos constantemente nas capas das mais famosas revistas. Sentir-se-ia livre para expressar sua sexualidade à sua maneira. Seu esposo seria um homem importante e líder, sobre quem ela teria uma forte influência. Ela certamente foi uma mulher de impacto e poder. Estava sempre enfocado em lucrar com o que lhe era proposto, era muito segura de si mesma e imponente. Suas características são muito estimuladas nos dia de hoje, no mundo, para nós mulheres. Era uma mulher feminina, mas terrivelmente destrutiva:
 -  Atraente;
 -  Sedutora;
 -  De língua persuasiva;
 -  Com idéias contundentes;
 -  Tinha grandes qualidades de liderança;
 -  Era uma mulher determinada;
 -  Independente;
 -  Sem escrúpulos.

Salmo 135:15-18
Esta escritura descreve os ídolos e seus adoradores. Jezabel se tornou cega para Deus e cega ao sofrimento dos outros por causa da sua busca a Baal. Possivelmente estava morta espiritualmente.


1. Cega para Deus
Todos nós fomos criados com uma real necessidade de Deus para vivermos uma vida plena como diz em II Pedro 1:3-4
Os ídolos oferecem um rápido consolo que temporariamente sana o vazio, eles são como um amuleto para nos sentirmos seguros e para alcançarmos o que esperamos, porém, nunca nos satisfazem plenamente. Ao contrário, nos decepcionam e nos tornam cegos e incrédulos. Ídolos não são somente imagens como as que Jezabel adorava. Qualquer coisa que colocamos no lugar de Deus, aquelas que temporariamente sanam o nosso vazio, são ídolos. Às vezes pode ser nossa própria ambição: trabalho, concurso, realização profissional, etc., como também pode ser pessoas: namorado, marido, mãe, irmão, filhos, etc
Ter ídolos não é uma prática exclusiva dos pagãos, é uma franqueza feminina. Tanto faz se você é cristã ou não. Pode acreditar: idolatria é uma de suas fraquezas. Constantemente precisamos verificar se algo está no lugar que somente Deus pode ocupar em nossas vidas.

O mais dramático exemplo de cegueira de Jezabel foi a do Monte Carmelo.
Recorde do desafio de Elias, onde os profetas de Baal aceitaram a proposta e começaram a clamar por seu deus (Baal), a dançar, e Elias, em contrapartida, começou a zombar deles dizendo que gritassem mais alto, pois talvez Baal estivesse dormindo ou teria dado uma “saidinha”, etc. Eles passaram o dia inteiro tentando chamar a atenção do deus deles. Ao final da tarde Elias começou a preparar o altar para Deus: “Com as pedras construiu um altar em honra ao nome do Senhor e cavou ao redor do altar uma valeta na qual poderiam ser semeadas duas medidas de sementes. Depois arrumou a lenha, cortou o novilho em pedaços e o pôs sobre a lenha. Então lhes disse: Encham de água quatro jarras grandes e derramem-na sobre o holocausto e sobre a lenha. Façam-no novamente, disse, e eles o fizeram de novo. Façam-no pela terceira vê, ordenou e eles o fizeram pela terceira vez. A água escorria do altar, chegando a encher a valeta. À hora do sacrifício, o profeta Elias colocou-se à frente do altar e orou: Ó Senhor Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, que hoje fique conhecido que tu és Deus em Israel e que sou o teu servo e que fiz todas essas coisas por ordem tua.Responda-me ó Senhor, responda-me, para que este povo saiba que tu, ó Senhor, és Deus e que fazes o coração deles voltar para ti. Então o fogo do Senhor caiu e queimou completamente o holocausto,a lenha, as pedras e o chão e também secou totalmente a água da valeta. Quando o povo viu, todos caíram prostrados e gritaram: O Senhor é Deus! O Senhor é Deus! Então Elias ordenou-lhes: prendam os profetas de Baal. Não deixem nenhum escapar. Eles os prenderam e Elias os fez descer ao riacho de Quison e lá os matou”( Reis 18:32-40).
Elias tinha pedido que Acabe convocasse todos os profetas de Baal, e é interessante notar que Jezabel não estava lá. Ela se dizia chefe dos profetas. Possivelmente não quis se expor a nada que pudesse desestabilizar seu sistema de crenças.
Deus deu a ela a oportunidade de livrar-se de sua cegueira, como fez com todas nós e como faz com todas as pessoas. Ele tentou revelar seu poder para ela através de:
“Aqueles que são sábios reluzirão como o fulgor do céu, e aqueles que conduzem muitos à justiça serão como as estrelas, para todo o sempre” (Daniel 12:3).
1. Sua autoridade, impedindo que chovesse por três anos consecutivos (I Reis 17:1);
2. Seu poder; ao responder Elias através do sacrifício no Monte Carmelo;
3. Sua justiça, matando a todos os falsos profetas de Baal;
4. Sua misericórdia, ao restaurar a chuva (I Reis 18:41);
5. Sua amorosa paciência, ao dar-lhe tempo para que se arrependesse.

Jezabel continuou com seu coração obstinado e endurecido:
I Reis 19:1-3
Você pode imaginar essa situação? Um homem que aparentemente era corajoso teve pavor dessa mulher! Um homem que tinha suas orações respondidas por Deus! Somente um tempo cara-a-cara com Deus, e a companhia de Eliseu ajudaram a restaurar a coragem deste homem desesperado. Elias necessitou ser convencido por Deus, e este lhe mostrou que sua quieta e pequena voz era infinitamente mais poderosa que os vitoriosos alaridos de Jezabel.

2. Surda ao sofrimento dos outros
O deus pagão da terra e da fertilidade exigia a prostituição no templo e o sacrifício de crianças. Sacrificá-las era tão fácil como cortar o cabelo. Obviamente Jezabel não deu honras a Deus porque ela não tinha respeito pelas pessoas criadas à imagem dEle..
I Reis 21:1-16
A cegueira para com Deus ensurdece nossos ouvidos ao clamor dos outros. Jezabel também era surda ao clamor da alma do seu marido. Ressentido por causa das inquestionáveis demonstrações do poder de Deus, o coração de Acabe não se voltou para o Senhor. O ambicioso rei desejou possuir a vinha de Nabote. Jezabel reprovou a atitude do marido, porém, não confrontou seu pecado e não o ajudou a ir para Deus. Como poderia se ela mesma não conhecia Deus? Ela tomou o problema em suas mãos: Decidiu fazer feliz ao seu marido sendo complacente com a natureza pecaminosa dele. Valendo-se de enganos e mentiras assassinou Nabote.
Essa é mais uma das nossas fraquezas: auto suficiência, que tem a raiz no egoísmo. Ela se aflora mais quando nos casamos. Queremos dominar as situações. Muitas de nós chegam a pensar em como nosso marido é fraco e “devagar”. Que tolice acreditar que por tentar resolver nossos problemas com nossas próprias mãos eles serão resolvidos!.Paramos de depender de Deus e queremos depender das nossas próprias forças. O egoísmo nos torna surdas ao sofrimento alheio.

3. Conseqüências da cegueira e da surdez de Jezabel

II Reis 9:30-37
I Reis 21:20-26
A falta de vulnerabilidade e humildade foi cara para Jezabel. É muito triste ver que ela chegou até as portas do inferno cheia de arrogância e soberba. Viveu sua vida como quis sem se importar com o custo disso, jamais se curvou diante de Deus. Seu futuro foi um fracasso. Já era viúva antes de morrer. Foi uma péssima mãe, não nutriu nem amou as almas de seus filhos; os viu nascer somente para depois vê-los morrerem em humilhação.
Acazias, sucessor de Acabe no trono, reinou por dois anos em Israel e morreu depois de uma queda da sacada se sua casa.Seu neto, rei de Judá e seu filho Jorão, que reinava em Israel, morreram, por meio de Jeú horas antes que ela morresse. Possivelmente o fato de ela ter se arrumado quando viu Jeú fosse por causa do sofrimento que estava sentindo ou simplesmente era muito orgulhosa e queria morrer de maneira “digna”.
Ela deu a seus filhos terras que não eram dela e que só lhes causaram destruição. Seus filhos foram sacrificados no altar de seu próprio orgulho.
Foi mãe de Atalia, e não se sabe qual das duas foi mais cruel. Atalia foi dada em casamento a Jeorão, rei de Judá (reino do Sul), com a intenção de promover união entre Israel e Judá. Seu filho foi morto no mesmo dia em que morreu sua mãe (Jezabel). Quando soube da morte do filho mandou matar todos os descendentes da família real, inclusive seus netos, e governou Judá por seis anos. A Bíblia diz que Judá somente teve paz depois que Atalia morreu à espada no seu próprio palácio.
Sete anos após a morte de Jezabel, não restou nenhum descendente dela como Deus havia profetizado.
A vida tem tudo a ver com tomar decisões. Tomamos decisões todos os dias – o que comer, com quem passar tempo e que tarefas priorizar. As boas decisões levam ao contentamento e a uma vida realizada, ao passo que as más decisões levam ao desapontamento, à dor e ao caos interior. Como a Bíblia diz você colhe o que semeia (Gl. 6:7).

O Ato de tomar boas decisões vem de Deus.
Pra não nos parecermos tanto com Jezabel tenho quatro dicas:

1. Entregue suas vontades a Deus. Jezabel fez o contrário e colheu o pior;
2. Escolha cuidadosamente suas amizades e relacionamentos. Acabe e Jezabel trouxeram à tona o pior um do outro. Eles queriam dominar a vida um do outro e dos outros. Busque conselhos de pessoas sábias. Entretanto, não deixe que elas tomem as decisões por você;
3. Conheça suas fraquezas e busque se fortalecer. Não deixe que suas fraquezas a dominem;
4. Peça sabedoria a Deus. Não confie em seus “achismos”, ou seja, na sua própria sabedoria.
Acabe e Jezabel são exemplos perfeitos de duas pessoas que tomaram decisões erradas. Todos nós podemos aprender muito com eles e fazer o oposto, seguindo a Deus, confiando nele em tudo o que fizermos e amando e respeitando um ao outro.
Convivemos diariamente com várias Jezabéis. Este estudo é uma grande oportunidade de ajudar essas mulheres a se livrarem de sua cegueira e da surdez espirituais.


Clique aqui e deixe seu recado em nosso livro de visitas